Halo Infinite - Master Chief retornando com tudo! || Resenha - Hospicio Nerd

O retorno triunfal de Halo.

Desenvolvido pela 343 Industries e publicado pela Xbox Game Studios no dia 08 de dezembro de 2021 para PC, Xbox One e Xbox Series S/X, Halo Infinite nos coloca mais uma vez na pele do icônico Master Chief. Será que essa grande franquia voltará aos holofotes? Será que vale a pena?

Antes de mais nada, vale dizer que vou me limitar a falar somente da campanha. O modo multiplayer lançou gratuitamente antes do restante do jogo. Então já recomendo que experimentem.

Halo Infinite: Assista ao novo trailer de campanha

Começando pela história, vale dizer que essa é a sexta aventura de Master Chief. É normal até mesmo quem jogou os anteriores ficar um pouco perdido na história da série, mas de toda forma se você está começando por este, terá uma história mais centrada no nosso protagonista. Acompanhamos mais uma vez o nosso herói com o intuito de impedir uma raça inimiga de se apoderar de mais um Halo e causar danos irreparáveis a humanidade. Somos acompanhados de mais dois personagens, o piloto Echo 216 e uma IA, quase que uma Cortana, mas que chamamos apenas de Arma. A história em si não é lá muito profunda, mas a interação entre esses personagens e os momentos épicos dignos da série valem a pena.

Falando sobre a gameplay, é aqui onde moram as maiores novidades. Todos os jogos da franquia principal de Halo costumavam ser em mapas um pouco mais contidos, divididos em missões, em um esquema bem nos trilhos. E é nesse ponto que Halo Infinite inova dentro da série. Após uma primeira missão bem do tipo que já estamos acostumados, somos apresentados a um mapa aberto, situado em um Halo e com muitos pequenos eventos. Temos bases para tomar, unidades de humanos para salvar, itens para upgrades e mini chefes com armas especiais. É um mundo aberto bem digno, talvez uma boa direção que a série deva tomar. Não temos uma variedade de cenários nesse mundo, é tudo muito parecido. Infelizmente nas últimas missões, o mundo aberto acaba ficando de lado, deixando de fora muito do que conquistamos, voltando a uma experiência mais contida como já estávamos acostumados.

Testamos Halo Infinite Multiplayer; veja as impressões do beta aberto | Jogos de tiro | TechTudo

Ainda na parte de jogabilidade, também temos muitas novidades. Muitas das armas e veículos clássicos da franquia estão presentes. Inclusive vamos liberando veículos e armas conforme completamos missões opcionais. Podemos acessar essas armas ou veículos nas bases dominadas, podendo ainda carregar alguns NPCs para ajudar-nos. Uma das maiores adições é o gancho que Chief tem acoplado em seu braço, e que serve para muitas coisas. Podemos usá-lo para locomoção rápida, tanto em combate quanto para acessar locais mais altos. Também é possível usá-lo para pegar armas do chão ou nos lançarmos em inimigos ou veículos.

Além do gancho, também adquirimos algumas outras habilidades, como um sensor para detectar inimigos ou um escudo de energia. Essas e outras habilidades podem ser melhoradas com núcleos de Spartan, que também são encontrados pelo mapa. Com tantas habilidades em mãos, trocar entre elas no joystick ficou um pouco confuso da forma que foi feito, você pode se enrolar na hora do combate. Tal problema não deve rolar para quem estiver jogando no PC, com teclado e mouse. No mais, quanto a jogabilidade, temos o padrão de muitos FPSs, podendo carregar duas armas, algumas granadas diversas, tendo a opção de pular, correr e deslizar.

Tecnicamente falando o jogo agrada, mas não surpreende. Joguei em um Xbox One, que de fato não é a melhor opção disponível para Halo Infinite atualmente, já que roda a 30fps. Em um Series X ou em um bom PC, você terá 4k em 60fps. De toda forma, em questões gráficas, cenários, ou visuais de personagens, acredito que poderia ser superior. A trilha sonora portanto, dispensa comentários. Inclusive com muitas músicas já conhecidas da série.

Jogamos a campanha de 'Halo Infinite'; confira primeiras impressões

Finalizando mais esta resenha. Halo Infinite é um belo respiro para essa que é uma das franquias mais importantes do mundo dos jogos. A ideia de um mundo aberto em Halo deve ser muito aceita pela maioria dos fãs. A adição do gancho agregou demais a gameplay e espero realmente que esteja em todos os próximos. Para quem não conhece a série e pretende jogar, aconselharia começar do primeiro, já que tanto o Infinite quanto os anteriores estão disponíveis no gamepass. Com uma jornada um pouco maior do que 15h, podendo se estender bem mais, Halo Infinite termina 2021 como um dos destaques do ano.

(Via:YouTube/Uns Caras Que Jogam)

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários