{Resenha} 18 Presentes! Um presente no mês das mães! - Hospicio Nerd

INHAIIIMMMM TUXOS E TUXAS MATERNAIS! ADOROOO!

Com muito prazer e emoção o mês das mães começou bem na nossa amada Mamma NETFLIX! Estreou no dia 08 de maio no streaming o filme 18 Presentes! 18 Regali, nome original do filme, foi traduzido na íntegra e pelo que parece vem bater de frente com o sucesso dos filmes espanhóis na plataforma. A obra de ficção foi inspirada na história real de Elisa Giotto, uma mulher italiana que faleceu em 2017 quando sua filha completou um ano de idade, mas antes do fato, ela deixou cartas escondidas para o marido Alessio Vicenzotto, que também está envolvido no projeto como roteirista junto do diretor Amato, Massimo Gaudioso e Davide Lantieri, imaginando como será o futuro da sua filha Anna, mas modificando algumas possibilidades para ajudar na criação do roteiro. Dirigido por Francesco Amato, o filme começa num clima de luto e consegue com o tempo nos prender dentro de um enredo que nos dá uma concepção de leveza perante a atitude de Elisa, a mãe que recebeu o nome original como personagem, na intenção de tornar tudo mais forte para o público.

Fonte: Netflix / Divulgação

O elenco é rico de atores italianos de primeira: Vittoria Puccini, Benedetta Porcaroli, Edoardo Leo, Sara Lazzaro, Marco Messeri, Betty Pedrazzi e Alessandro Giallocosta dão vida aos personagens da história quase verídica. Temos que enfatizar a interpretação de Vittoria e de Benedetta que surpreendentemente demonstrou uma química fantástica, desenvolvendo uma relação entre mãe e filha de maneira terna e emocionante. Outro destaque vai para Edoardo Leo, que interpreta o pai dedicado, ele consegue com tamanha maestria nos emocionar e compreender o drama vivido pelo personagem que perde a esposa e cuida da filha com tanto afinco. A direção de elenco acertou na mão e o diretor Amato brilhou no trabalho realizado junto dos atores, o que dá para se notar durante o filme, com as técnicas de atuação espontânea aplicadas em cada cena. A expressão tanto gestual, quanto facial completam o desempenho desse filme intenso, que nos deixa num misto de tristeza e felicidade regada de um orgulho pela mensagem do enredo, que por sinal ficou elaborado e parece ter sido escrito para cada um dos envolvidos à dar vida para os personagens.

Fonte: Netflix / Divulgação

A história se passa em 2001 e acompanha o drama de Elisa que está grávida e devido a uma doença incurável perde sua vida deixando para trás seu marido Alessio e sua filhinha Anna recém-nascida. Mas antes de partir a dedicada mãe elabora um plano que possui uma lista de presentes de aniversário para a sua filha para que ela recebesse um por ano até que complete a maioridade, ou 18 anos. Mas o desconforto da filha ao passar os anos, mesmo com os “regali da mamma”se torna crescente no íntimo da garota que começa a ter reações agressivas e rebeldes, deixando para todos a sensação que existe um enorme vazio em seu coração. No último aniversário onde receberia o último presente de sua mãe, a moça decide se portar de outra forma e foge da sua festa, mas acaba sendo atropelada e daí em diante a trama se torna furtivamente emocionante, já que é desse ponto do filme que o inesperado acontece para a garota que não esperava que mesmo com um leve trauma, o tal acidente fosse proporcionar a ela a oportunidade que ela mais almejava.

Fonte: Netflix / Divulgação

A produção de Andrea Occhipinti, ficou impecável, a começar pela iluminação das cenas do filme, que mesmo com um enredo de luto, não apresenta imagens pálidas e sem cor, pelo contrário, a luminosidade e jovialidade é presente na maioria dos quadros, gerando um aconchego visual excelente. Outro ponto é o cenário e o figurino muito bem empregados retratando os anos 2000 de uma forma bem eficaz. A trilha sonora, essa sim é intensa, mas não causa nenhuma distorção com as locações utilizadas, conservando um visão moderna de mostrar uma tragédia sem intensificar um clima depressivo. Dá para notar também o cuidado com os objetos de cena utilizados dando conformidade à época que se passa a história. Para completar o bom trabalho Occhipinti vemos como ele se empenhou junto da equipe de edição fazendo os cortes certos nas horas certas e trazendo harmonia no desenrolar dos fatos que compuseram a ideia do projeto. Tudo muito impecável, mostrando que os europeus estão mais do que afinados na sétima arte!

Fonte: Netflix / Divulgação

O filme e a história que gira em torno dele são intensos e trazem questões bastante fortes no teor psicológico, uma delas é nos mostrando como nós evidenciamos e criamos expectativas em relação aos nossos ou aqueles que nos acompanham em nossa jornada de vida, mas que nem sempre saem como imaginamos ou pensamos que iria acontecer. Mas a questão principal é o fato de ser uma história real, algo que realmente pode acontecer, aliás que está acontecendo na vida de Alessio e sua filha Anna que inspiraram os nomes dos personagens na íntegra, isso nos traz um conforto e uma satisfação que poucos têm ao assistir um filme desse gênero. Essa é a indicação da semana no BLITZ Pipoca e eu “SUPER DUPER” indico para todos nessa quarentena, mesmo porque o teor é bem maternal! Confere lá e vem cá me contar o que você achou tá bom!!!! #CHOCOBJS #FIQUEEMCASA #BLITZPIPOCA

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários