{Resenha} Amor e Anarquia - Uma consultora e um T.I. e um jogo bem diferente! - Hospicio Nerd

INHAIIIIMMMM TUXOS E TUXAS QUE TAL UMA LOUCURA NOVA POR DIA HEIN?

O desafio tem gosto de prazer! Estreou no dia 4 de novembro em nossa Mama Netflix, dentro do gênero de comédia romântica, só que sueca né gente, a primeira temporada de Amor e Anarquia que promete causar nas telinhas de nós todos! Pelo que temos observado, temos mais uma série europeia, e essas beldades estão invadindo o streaming e ocupando seu lugar de destaque nos Top 10, ou seja,  quando se trata de ver uma cultura diferente, para vocês terem uma ideia, tem muita gente que está assistindo legendado só para ver como é a língua dos suecos. Essa é a  segunda produção da Suécia lançada na plataforma após Quicksand! E deixando bem claro, que nós do HN não damos spoiler e sempre seremos  imparciais para sua opinião, porque aqui meu bem é você quem decide se VALE  ou  NÃO VALE a pena ver o que estamos resenhando tá! Agora que você já está ciente, vem comigo, ou  melhor me passa seu batom que tenho um missão para você se joga em cada episódio para ver até onde esses dois vão te levar!

Netflix

A direção excelente de Lisa Langseth com o roteiro assinado por ela mesma com Alex Haridi, Amanda Högberg e Antonia Pyk trouxe uma história romântica bem diferente do convencional. Para completar a produção de Fatima Varhos, Frida Asp, Martina Håkansson, Pontus Edgren, Sofia Lindberg e Stefan Wiklund ao lado da FLX fizeram da produção original da Netflix uma comédia romântica de primeira qualidade. O elenco tem nomes desconhecidos para todos nós e que vão acabar se tornando comuns com o tempo, formado por Björn Mosten, Ida Engvoll, Bengt C.W. Carlsson, Benjamin Shaps, Björn Kjellman, Carla Sehn, Disa Östrand, Disa Östrand, Ejke Blomberg, Elsa Agemalm Reiland, Gizem Erdogan, Johannes KuhnkeLars Väringer, Ludde Hagberg, Nova Waldfogel, Djanaieff Pontus, Reine Brynolfsson, Ruben Lopez e Yasmine Garbi compõem uma equipe bem grandinha e com certeza repleta de boas atuações. O resto fico para a técnica de filmagem usada, tem horas que dá a impressão que você está vendo The Office ou Parks and Recreation. A única observação é o fato de que o ritmo do enredo poderia ser um pouquinho mais acelerado, mas mesmo assim vale a pena demais se jogar nos 8 episódios da 1ª temporada.

Netflix

Sofie (Ida Engvoll) é uma mulher independente, casada, mãe de dois filhos, com um pai com problemas psicológicos e como consultora foi contratada para modernizar uma Editora que está precisando ser informatizada com urgência já que ainda está no século passado e faz seu trabalho usando manuscritos e documentos impressos. Já no seu primeiro dia ela conhece todos que trabalham no local, inclusive Max (Björn Mosten), um jovem técnico de informática que ainda está tentando construir sua carreira profissional e que divide um apartamento com dois amigos. O primeiro contato com todos os colegas temporários de trabalho não foi lá tão amigável para a consultora, principalmente com o rapaz do T.I., mas depois de um flagrante comprometedor, os dois acabam se envolvendo em um jogo de sedução que começa a desafiar os conceitos da sociedade moderna e questionar vários padrões da vida convencional. No começo de tudo, parece uma brincadeira, mas com o passar do tempo eles vão se envolvendo cada vez mais e os desafios vão se tornando mais ousados e isso pode terminar em consequências bem sérias.

Netflix

O trabalho de excelência da produção garante boas imagens e a ousadia completa a ideia do projeto, temos de tudo, desde acontecimentos bobinhos e românticos até uma explosão de sentimentos exteriorizados em atitudes não convencionais. A série explora a verdade incontida dentro do nosso íntimo, o que está acontecendo na vida de Sofie parece ser o bastante para ele começar uma jornada diferente em sua vida e chutar o balde.  Por outro lado, quebra as barreiras dos relacionamentos, ao nos depararmos com a paixão que Max dedica a sua amante, ignorando totalmente o fato de ela ser casada e mais velha, que mesmo hoje em dia ainda representa tabu para muita gente. Os louros ficam para a equipe de montagem que tomou todo o cuidado de desenvolver o romantismo sem acelerar a trama e é isso que vai te envolvendo e fazendo você assistir um episódio atrás do outro para satisfazer a curiosidade de saber o que vai acontecer em seguida no próximo desafio para recuperar o batom,

Netflix

Quebrar velhos conceitos, permitir-se e mostrar que devemos ser fiéis aos nossos sentimentos têm sido temas mostrados em várias das séries estrangeiras que estão estreando na nossa Mammy, até parece que foram escritas por psicólogos, mas com certeza é o que tem atraído o público. Na minha visão consegui assimilar que temos dois polos psicológicos bem acentuados, de um lado Sofie com a anarquia mental por não saber o que fazer em sua vida familiar, seu relacionamento com alguém mais novo e a editora que está em suas mãos e do outro Max e o amor que ele sente por uma mulher mais velha e atraente, o que o transforma de um personagem apático em um jovem com atitudes anárquicas com tudo e todos à sua volta. Cheguei a conclusão que o mundo precisa de mais séries suecas viu, agora é com você, corre na plataforma para conferir, se o amor e anarquia andam de mãos dadas e depois vem aqui e me conta o que achou tá! Simples assim! ADOROOOOO #CHOCOBJS

Todo domingo as 14:00 horas no IG TV do @marmotinhabh temos as LIVES MARMOTANDO com Hospício Nerd, apresentada por euzinho, @lisbragaoficial e @ricardocatizaneoficial dando dicas das plataformas Netflix e Prime Vídeo, Cabines de imprensa e falando de Masterchef Brasil 7ª Temporada além de trazer convidados maravilhosos! Vem com a gente e se jogaaaaaa! #CHOCOBJS #NOVEMBROAZUL

 

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários