{Resenha - Especial #Pridemonth} Me Chame pelo seu nome - Hospicio Nerd

Ah…♥️

 

Falar de representatividade no mundo cinematográfico não é algo simples e requer cuidado e atenção na hora de retratar casais do meio LGBTQIA+, de forma que a ideia sobre seu enredo possa ser passada ao telespectador e consiga no mínimo, trazer a discussão sobre o tema ao máximo possível de pessoas.

Sinopse: O jovem Elio (Timothée Chalamet) está enfrentando outro verão preguiçoso na casa de seus pais na bela e lânguida paisagem italiana. Mas tudo muda com a chegada de Oliver (Armie Hammer), um acadêmico que veio ajudar a pesquisa de seu pai.

 

Cinco diferenças entre o filme e o livro Me Chame Pelo Seu Nome ...

Imagem: Sony Pictures/Memento Films International

Me chame pelo seu nome é uma obra prima que consegue o mérito do Oscar pelo prêmio de melhor roteiro adaptado, já que foi uma adaptação de mesmo título do livro inspirado na obra do autor André Aciman e que teve sua versão cinematográfica exibida em 2017, com exibições aclamadas nos festivais de Berlim, Toronto, do Rio e no Sundance.

O enredo se passa nos anos 80, no verão da Riviera Italiana ainda passando por transformações socioculturais, onde não se havia o debate sobre temas considerados Tabus pela maioria dos países nessa mesma época. Pouco se existia de representações na mídia e mais ainda em meio a sociedade sobre as diversas formas que existiam de variações no quesito sexualidade ou identidade de gênero, algo que é presente durante o enredo da história pelos detalhes pequenos como o ambiente cheio de esculturas arcaicas, ou mesmo o diálogo e a interação mais aberto e direto entre as pessoas sem a existência da explosão da internet e das tecnologias mais atuais e a população no geral se satisfazia com festividades locais, livros, música, teatro, entre outros.

 

Trilha sonora de “Me Chame Pelo Seu Nome“ vai ganhar edição em ...

Imagem: Sony Pictures/Memento Films International

 

O destaque do filme fica na fotografia, devido aos detalhes fieis ao ambiente em que ocorre a história, bem como a forma pouco corrida em que se passa os acontecimentos. Seus personagens trazem consigo experiências de vida em momentos completamente diferentes, mas que se encontram quando um momento em comum os traz ao ápice da maioria dos jovens adultos dessa era: a descoberta da paixão. O romance entre Elio e Oliver é retratado de uma maneira crua, memorável, com ênfase na descoberta da sexualidade de ambos em meio a época em que viviam, tentando se adaptar a uma paixão que nem eles mesmos julgavam ser possível.

Os diálogos são lentos mas casam com o que o livro queria retratar: Uma vivência de duas pessoas que estavam se conhecendo aos poucos e que, devido ao medo e ao pouco conhecimento que tinham sobre si, especialmente do Elio, dificilmente poderia desencadear uma tormenta de sentimentos tão íntimos, desmembrando as facetas do desejo que todas as pessoas passam quando vivenciam a primeira experiência ou contato sexual e amoroso com outra pessoa.

Autor do livro confirma sequência de Me Chame Pelo Seu Nome ...

Imagem: Sony Pictures/Memento Films International

Aos apaixonados pelo mundo cult do cinema romântico e que valorizam a diversidade, vale a pena conferir este conto reapresentado pelo escritor que se importa, acima de tudo, com a forma e a maestria representativa do amor, desejo e afeto de todo e qualquer ser humano, quando ainda está na fase de sua descoberta individual da maneira mais pura e natural em sua própria essência.

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários