{Resenha} I´m not Okay with this! A Netflix me deixou de boa com isso! - Hospicio Nerd

INHAIIIIII TUXAIADA QUE ESTÁ OK COM ISSO!!!!…. KKKK

Para tudo e aceita que você está bem com isso, assistindo a nova série deliciosa da NETFLIX: I’m not OKAY with this! Inspirada na HQ escrita por Charles Forsman, dirigida e adaptada pelo roteirista Jonathan Entwistle, o mesmo responsável pela adaptação de outro título da plataforma (The End of the Funcking World), traz um ambiente da “high school” bem direta e fria que enfatiza de forma privilegiada a juventude dos EUA que é bem melancólica e desajustada. Com esse perfil, os produtores foram com cautela na construção de sua protagonista, trazendo um ponto de vista mais humano, claro sem deixar de destacar que existe algo meio que sobrenatural ou de superpoderes com a nossa amada Sydney Novak (Sophia Willis).

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado

O mundo é o da garota Syd! Ela envolta em seus pensamentos, em tudo que escreve no diário e cheia de monólogos acaba nos orientando em todas as situações em que se encontra, desde a chegada à nova escola, até o momento de fazer novas amizades. Nesse entremeio ela pensa e deixa bem clara sua opinião sobre tudo que acontece no desenrolar da trama. Assim, a novata faz amizade com Dina (Sofia Bryant) que também é nova na escola e com seu vizinho destrambelhado e “maconheiro” Stanley (Wyatt Ollef), que na verdade se candidata a amigo dela.

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sentadas e sala de estar

Mas tudo isso é só um começo bem leve e feliz, além de lembrar muito as obras de Stephen King, como Carrie a estranha e IT, aliás diga-se de passagem que Ollef e Lillis vieram do elenco da primeira parte do filme, a série traz um tom de suspense como em Stranger Things o que atrai muito esse público da nossa amada “Mamãe” NETFLIX! Num clima de realidade desenvolvem-se vários assuntos que no final dessa primeira temporada ficaram em aberto, o que é bom tanto para o público, quanto para o roteirista e produtores que têm muito espaço para trabalhar o enredo. Nova escola, novos colegas, novos amigos e além de uma vida difícil, onde Syd é de família pobre, tem que cuidar de seu irmão mais novo, está superando o suicídio do seu pai e ainda tendo que auxiliar sua mãe (Kathleen Rose Perkins) em casa, ela se depara com algo inesperado. Essa garota tímida e introvertida descobre que tem poderes sobrenaturais. Ai está o auge da história que brinca com a o universo adolescente e seus problemas e a nova condição da garota que parece ter poderes telecinéticos. Mas o drama não para por aí, nessa confusão toda, sua melhor amiga Dina se envolve com o valentão e super atleta Brad (Richard Ellis), que além de causar ciúmes na protagonista que parece estar atraída pela amiga, também é o personagem que não se afina com ela.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e área interna

No decorrer da trama, através das narrativas escritas em seu diário que revelam as várias alterações do humor da Srta. Novak, tudo acontece de forma bem situada e cheia de momentos bem peculiares. A luta para controlar seus sentimentos que quando ficam voltados para a raiva ou excesso de preocupação fazem com que seus poderes sejam acionados e coisas muito loucas acontecem, como derrubar tudo das prateleiras do supermercado, fazer objetos levitarem, derrubar as prateleiras da escola, entre outras coisinhas que vão se intensificando a cada episódio, Syd tenta manter segredo sobre tudo que está acontecendo, até a hora que ela é surpreendida por Stan em um de seus momentos íntimos de super poder.

Nenhuma descrição de foto disponível.

O bom desse tipo de enredo é que sempre vamos querer ver a próxima temporada devido aos segredos e mistérios que nos aguçam a curiosidade como o fato da personagem principal ser perseguida por alguém que não se mostra e que parece ser o único a ter super poderes assim como ela. Lillis tem feito um excelente trabalho em suas performances, não só na série, mas foi assim também em IT e no seu novo filme em cartaz Gretel and Hansel! Entrelaçando cenas que retratam a realidade adolescente e o mundo sobrenatural, a trama ficou muito bem desenvolvida e sem as costumeiras apelações pelo fantástico mundo dos efeitos especiais.

Foi interessante ver os 7 episódios da série numa sentada, já que no começo eu achei que se tratava de outro assunto. Imagina minha cara quando descobri que Syd tinha poderes telecinéticos! Um universo X-man misturado com vários conceitos tirados de outras séries passou pela minha mente. Quero ver onde isso vai dar e já estou ansioso para que a Mamãe Netflix anuncie que teremos uma 2ª temporada! Corre lá e confere e te garanto que no último episódio você vai estar OK com isso! kkkkkkkk ADOROOOOO #CHOCOBJS

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários