{Resenha} Monstro do Pântano - É melhor passar a ter medo de plantas! - Hospicio Nerd

Um olá Multiversal pra você!

Antes de se aventurar no pântano que permeia esse texto, vale lembrar que essa resenha NÃO TEM SPOILER!!! Então não corro o risco de ser xingado por estragar a experiência de alguém (UFA). Dado esses alertas iniciais, preciso começar dizendo que essa resenha expressa a MINHA OPINIÃO, ou seja, se vale ou não a pena assistir, você quem vai julgar, aqui vou apenas relatar minha experiência assistindo. 

Série do Monstro do Pântano estreia no Brasil nesta sexta (17)

(IGN)

Um formato de série baseada em quadrinhos que eu ainda não havia visto até o momento era do gênero de terror. E confesso que nunca havia pensado o quanto isso poderia dar certo. Essa série te envolve do começo ao fim nos mistérios que envolvem a cidadezinha de Marais.  Recheada de personagens muito mais profundos do que se espera e plots que são de te deixar boquiaberto. Com uma trilha sonora agoniante nos momentos certos, uma fotografia que potencializa ainda mais o quesito “cagaço” em você, e atuações que transparecem a loucura que o pântano causa, Monstro do Pântano é um tiro certeiro em um formato até então pouco explorado em séries de “heróis” 

O que o visual e a maquiagem têm de bem produzido, faltou de carisma na personagem da doutora Abby Arcane (Crystal Reed). Embora ela atuação seja boa, a personagem não me passou a empatia que eu deveria sentir por ela. Ainda que você entenda as decisões que ela toma, muitas vezes você deixa de se importar com as consequências que ela pode sofrer com aquilo. O que é estranho, já que, junto com Alec Holland (Andy Bean), ela é a protagonista. Mas não foi algo que me tirou da trama, apenas um ponto que não posso dizer estar no mesmo nível do restante da série 

Foto Andy Bean, Crystal Reed

(Adoro Cinema)

As questões  científicas da série conseguem trazer grande veracidade nos métodos, nas motivações das pessoas envolvidas com a doença do pântano, dando um tom muito realista da importância do estudo daquele agente biológico. E claro, não posso deixar de dizer do realismo do próprio monstro do pântano (Derek Mearse sua relação com as plantas que, de certa forma, é até poéticaToda movimentação, a fala e até suas expressões são impressionantes, amedrontadoras, mas impressionantes. 

Enfim, a série lançada em  2019, produzida por Gary Dauberman e Mark Verheidenconta também com Will Patton como Avery Sunderland, Jennifer Beals (Lucille), Kevin Durand (Jason Woodrue). Ela tem um grande diferencial por sua temática, conseguindo executar muito bem cada detalhe do horror e dos mistérios para te prender até o último segundo do último episódio. 

Segue lá no Twitter : @miranhajao
Dois bejos, e até mais! 

 

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários