{Resenha} Power! - Twist and take the pill meu bem! - Hospicio Nerd

INHAIMMMM TUXOS E TUXAS, ESTÁ NA HORA DE GIRAR E TOMAR A PÍLULA!

Pára tudo meu amor, que o bafão da pandemia está fazendo com que todos nós tenhamos uma experiência cinematográfica em casa, a prova disso é a estréia dessa última sexta feira 14 de agosto, entrou para o cardápio da Mammy o filme Power (Project Power)! Um filme de super heróis com poderes ativados por uma pílula foi a fórmula perfeita para o sucesso promissor de mais uma produção norte-americana cheia de ação e efeitos especiais. Só para se ter uma ideia em menos de 24 horas o filme entrou para os TOP 10 da plataforma. Sempre deixando bem claro, que nós do HN não damos spoiler e sempre seremos imparciais para sua opinião, porque aqui meu bem é você quem decide se VALE ou  NÃO  VALE a pena ver o que estamos resenhando táaaa! Agora que você já está ciente, que tal girar a pílula entre os dentes e tomá-la hein?

Netflix

A direção veio à duas mãos por Ariel Schulman e Henry Joost dando vida ao roteiro de Mattson Tomlin e produzido por Bryan Unkeless, Eric Newman, Orlee-Rose Strauss e Ray Angelic ao lado da Screen Arcade Production, Supermarché Production e Netflix. Schulman e Joost souberam como coordenar e direcionar muito bem o elenco formado por Jamie Foxx, Amy Landecker, Courtney B. Vance, Dominique Fishback, Joseph Gordon-Levitt, Machine Gun Kelly, Rodrigo SantoroAllen Maldonado, Andrene Ward-Hammond, Casey Neistat, Janet Nguyen, Jim Klock, Kyanna Simone Simpson e Luke Hawx. O filme tem vários pontos positivos a serem considerados, como a trilha sonora que é super empolgante e muito bem aplicada, principalmente nas cenas de ação, que devem ser citadas e aplaudidas, já que do começo ao fim o que o espectador tem são pausas para reiniciar a liberação de níveis bem altos de adrenalina. Figurinos bem despojados e locações bem escolhidas trazem o ar realista e de certa forma apesar de ser um filme sobre superpoderes, o resultado final ficou mais ligado a uma probabilidade, do que uma possibilidade fictícia bem distante de ser possível de acontecer. E para completar o cuidado e a atenção devida dados aos efeitos especiais, que com certeza são o ápice do longa, causando aquela sensação de a cada momento ficarmos esperando ansiosamente pelo novo poder que vai se manifestar.

Netflix

O submundo das drogas de New Orleans agora conta com um acréscimo, uma misteriosa droga que provê superpoderes por cinco minutos aos seus usuários que começou a circular pela cidade. Um grupo de jovens recrutados por um cartel de traficantes misterioso começa a distribuir o novo hit entre os viciados da cidade, é dessa forma que conhecemos Newt (Machine Gun Kelly) e sua funcionária que não passa de uma estudante comum que precisa levantar uma grana para pagar o tratamento de saúde da sua mãe, a adolescente Robin (Dominique Fishback), que é amiga do policial Frank (Joseph Gordon-Levitt), que além de protegê-la também compra a droga em sua mão utilizando-a para combater o crime. Estava tudo calmo até que Art (Jamie Foxx) aparece e em uma perseguição faz com que Newt acabe tendo uma overdose da nova droga. O enredo muito bem feito traz três ambientes diferentes, onde uma jovem de classe pobre que luta para garantir o tratamento da mãe, um policial que se utiliza daquilo que está tentando combater como arma contra o crime e a misteriosa história de um ex-soldado que está tentando encontrar uma maneira de resgatar alguém terão seus caminhos cruzados e talvez seja necessário se unir para descobrir todo o mistério por trás das intenções dos traficantes.

Netflix

Apesar de ser um filme daqueles cheio de efeitos especiais e ligado a uma história fictícia de super poderes, os produtores foram inteligentes ao se preocuparem em abordar assuntos polêmicos, como a dificuldade enfrentada nos bairros pobres de Nova Orleans, o que obriga muitas das vezes os jovens a acabarem traficando para conseguir uma vida mais digna e até mesmo sua sobrevivência. Não para por aí, tem também a ideia de que se pudermos avaliar melhor o desconhecido, talvez ele seja útil para realizar bons feitos, como é o caso do policial Frank que fez da droga de superpoderes a sua arma para perseguir os usuários e combater o crime. A confusão se conclui com uma visão típica nesse tipo de filme, que sempre mostra uma instituição ou uma companhia poderosa que está por trás da trama, custeando, distribuindo e abafando todos os fatos e acontecimentos que possam incriminá-los, algo bem possível de acontecer dentro da nossa realidade.

Netflix

A sequência de ação do filme é outro ponto positivo que deve ser citado com muito apreço, desde o começo da história, praticamente nem piscamos com uma sequência de perseguições, explosões e pelo visto, virou moda, muita técnica de parkour para realizar as cenas exageradas dos usuários e seus super poderes. Outro ponto muito louco são as lutas e abordagens dos que procuram justiça, o modo como Art age ao sequestrar a estudante Robin mostra muito bem como é o comportamento da maioria dos policiais com traficantes, independente de quem eles sejam, apenas o fato de estarem envolvidos são tratados com pressão psicológica e violência, e como paradoxo, temos Frank que apesar de cometer um crime ao se utilizar da droga para exercer sua função, protege a adolescente de todas as formas já que está consciente da condição financeira da garota e sua família. Para concluir, não posso deixar de comentar como foi mostrado o rap através da personagem de Dominique, que o tempo todo se mostra uma exímia rapper tímida, mas que arrasa em todos os momentos que se manifesta como tal.

Netflix

Bem, agora que já falamos o suficiente para te instigar a conferir esse que parece ser mais um sucesso, mesmo estando dentro do gênero dos últimos lançamentos da nossa Mammy como The Old Guard e The Last Days of American Crim que foram baseados em HQs. Power traz aquela sensação de que o filme é mais uma produção baseada em um HQ, mas para a surpresa de todos o babado todo veio da imaginação da cabecinha brilhante de Mattson Tomlin, ficou chocado? Eu também! Posso dizer que eu sentei na frente da TV e quando dei por mim, o filme já estava acabando, tire suas próprias conclusões com esse meu comentário. Portanto está na hora de você ir correndo conferir lá na plataforma mais um lançamento e depois voltar aqui e me contar tudinho que você achou desse boom e já estou roendo as unhas para saber sua opinião viu! ADOROOOOOOOO #CHOCOBJS #FIQUEEMCASASEPUDER  #MARMOTANDO 

E agora todo domingo as 14:00 horas no IG TV do @marmotinhabh teremos as LIVES MARMOTANDO com Hospício Nerd, dando dicas das plataformas NETFLIX, AMAZON PRIME e claro falando de Masterchef Brasil 7ª Temporada! Vem com a gente e se jogaaaaaa! #CHOCOBJS

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários