{Resenha} The Alienist - Entendendo o porquê!! - Hospicio Nerd

Hello  Peoples!!!!!

Hoje lhes trago uma maravilhosa segunda temporada de The Alienist (O alienista). Disponível desde o dia 22 de outubro de 2020. Na mesma contém 8 episódios com duração entre 46 e 55 minutos. Totalizando até o momento em 18 episódios com suas duas temporadas. Aqui vou descrever alguns fatinhos, mas calma tá? NÃO haverá spoiler. 

Com um novo roteirista Stuart Corolan e com o ex Peaky Blindar a, David Caffrey, assumindo a posição  de diretor principal efetivo. Com aquele trio maravilhoso, da primeira temporada, em peso: Daniel Brühl como Dr. Laszlo Kreizler (Doutor Alienista), Luke Evans como John Schuyler Moore (ilustrador e amigo de Laszlo) e Dakota Fanning como Sara Howard (Secretaria de Roosevelt) e com as presenças pra completar esse elenco de: Robert Ray Wisdom como Cyrus Montrose (“criado” de Laszlo), Douglas Smith como Marcus Isaacson (Judeu sargento-detetive), Matthew Shear como Lucius Isaacson (Irmão gêmeo de Marcus e sargento-detetive), Matt Lintz como Stevie Taggert (Jovem e “criado” de Laszlo)

The Alienist 3ª temporada vai acontecer? Confira o que sabemos

 

The alienist (O alienista) é uma série norte-americana adaptada do romance de 1997, The Angel of Darkness.  Após uma primeira temporada obscura e eletrizante, lançada em março de 2018, chega finalmente sua segunda temporada, cheia de suspense,  drama, aventura e luta de igualdade social. 

Ainda com a mesma abertura, afirmando sobre os médicos que cuidavam da saúde mental, essa nova temporada, traz um novo mistério a ser resolvido. Nele se inicia com o sequestro de um recém-nascido e a morte de sua mãe por cadeira elétrica, a mesma foi condenada por assassinar seu filho (Pesado né? Mas será  que foi isso o que aconteceu de fato? Vai vendo). A partir desse caso o trio, Dr. Laszlo, John e Sara, entram em uma nova aventura investigativa. Interessante observar que tudo ocorre no século XIX (19) e mostra a dificuldade de desvendar certas coisas pela dificuldade de informação é comunicação, o que torna a série mais tensa e emocionante.

Ainda com a pegada escura para relatar a época, com a vestes totalmente perfeitas é o linguajar totalmente apropriado, os personagem é o cenário nós mergulha para como era antigamente na grande Nova Iorque e mostra o quanto eram reprimidos pelos que tinham poder na época comm digo pelo ex comissário: “Estamos aqui porque foi o filho de um poderoso, se fosse o seu, acha que estaríamos aqui?” UMA BOA OBSERVAÇÃO não é mesmo?

Com uma interpretação impecável, Dakota, Entregou-se a personagem e nos fez mergulhar nos acontecimentos e nós entregou a drama de cada cena, nos fez sentir o que ela sentiu e  passou, mostrando em cada cena com suas expressões e  palavras. Essa temporada não nos deixou na curiosidade pelo assassino, mas pela perseguição do mesmo, na dificuldade e sagacidade em conseguir encontrar a mesma, descobrindo em tentando conhecer ela, seus próximos passos.

Sara, nessa temporada, tem sua própria agência investigativa, que não é como qualquer outra, nela são formadas apenas por mulheres. Nisso ela dá seu grito feminista é de puro orgulho que faz com que entremos pela luta: 

“Não haverá muitas fotografias de investigadores que se pareçam conosco na Gazeta Da polícia Kith, ainda não pelo menos, Mas eu penso o seguinte, o nosso escritório aqui na Broadway é iluminado pela eletricidade e antes da eletricidade, o povo usava lampião a querosene e antes disso usavam velas de óleo de baleia e um homem da vela de óleo de baleia nunca teria previsto tudo isso, podem nos criticar como mulheres mas precisamos lembrar que somos investigadoras e seja usando saias ou calças o que nós fazemos é incorporio é da natureza humana cometer erros as vezes nós podemos falhar, mas não podemos ser definidas por nossas falhas.” (Sara)

 

Sem mais papo furado, liga na maravilhosa Netflix,  pega a tua pipoca e vem nessa análise!! Lembrem-se: “Homens, seja eles bons ou maus, não seguem o que não respeitam”

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários