{Resenha} The Man in The High Castle – História, Fantasia e tropeços - Hospicio Nerd

E se…

A Amazon anda investindo pesado em seu catálogo de séries, não só para alcançar a enorme variedade da sua concorrente, mas também pata atingir uma excelência em qualidade. E nesse quesito, a estratégia anda dando muito certo: existem produções realmente cinematográficas, dignas de um James Cameron, pelo menos na qualidade visual.

Este é o caso de O Homem do Castelo Alto (The man in the High Castle). Baseada no romance homônimo de  Philip K. Dick, a série é pretensiosa; o que seria dos Estados Unidos se as forças do Eixo, liderado pela Alemanha nazista, tivesse vencido a Segunda Guerra mundial?

The Man in the High Castle Season 3: A Composer's Road Map | Den ...

(Foto: Netflix)

Vemos um país dividido entre o comando alemão e japonês, e é interessante avaliar e perceber as diferenças de abordagem no domínio dos dois povos. Em meio a isso, Juliana (Alexa Davalos), Frank (Rupert Evans) e Joe (Luke Kleintank) tentam sobreviver em um São Francisco dominada pelo Japão. Enquanto em Nova York, John Smith (Rufus Sewell) um ex-oficial americano, agora, alistado nas forças alemãs, se submerge numa trama de política e perigos. Mas tudo isso se abala quando uma série de vídeos do eixo perdendo a Guerra são espalhados pelo público, gerando grandes dúvidas sobre a existência de algum universo paralelo onde os Nazistas perdem a guerra.

Pareceu complicado? Não é muito. A série entrega um bom conteúdo e personagens, com alguns tropeços (como o caso da inexpressiva protagonista, que felizmente é eclipsada pelo oficial alemão). O enredo é interessante, nos faz acompanhar a história e nos comover com as reviravoltas.

Mas a meu ver, o melhor da série vem no contexto: o mundo onde os nazistas ganharam. A ambientação, diferenças nos modos de vida, os contrastes entre alemães e japoneses e todo o pano e fundo são o que mais se destacam, tornando a história única e inusitada, o que é muito bem vindo nesse mar de séries que vemos atualmente.

The Man in the High Castle': An Alternative America Hits Home ...

(Foto: Netflix)

ATENÇÃO! SPOILLERS LEVES A PARTIR DAQUI

O homem do Castelo Alto começa muito bem, derrapa no caminho, se levanta, consegue se sustentar, mas vai ao chão lamentavelmente nos últimos episódios da última temporada.

Os personagens são carismáticos e nos identificamos  com alguns deles, o que nos faz comprar suas brigas, exceto a protagonista, que é tão inexpressiva que foi rapidamente suplantada pelo vilão, e percebendo isso, nas últimas temporadas a própria série dá a ele e a seu entorno muito mais relevância, destaque e tempo de tela.

Com estreia para novembro, 4ª temporada de 'The Man in the High ...

(Foto: Netflix)

A série consegue mesclar bem o clima de romance histórico com as pitadas fantásticas, mas tropeça quando coloca ficção científica no meio.

A produção fez uma boa opção ao encerrar a série na sua quinta temporada. O plots estavam ficando forçados, a fantasia e a ficção começaram a entrar em choque e a protagonista e, talvez até o enredo não tinham mais o que dar.

Assim, apesar de pecar aqui e acolá, a série ainda é um excelente programa, principalmente para quem gosta de contextos históricos de guerra e tramas políticas e, sem dúvida, foi mais um acerto da Amazon Prime Video.

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários