{Resenha} Um Contratempo! - Mama Netflix y sus detalles! - Hospicio Nerd

INHAIMMMMMMMMMM TUXOS E TUXAS HISPÂNICOS! OLÉEE….

Que delícia está a plataforma nessa quarentena, lembrando sempre que nós do hospício pedimos para que você fique em casa, e com certeza, para melhorar curta tudo que nossa “Mama NETFLIX” nos presenteia! Dessa vez vamos falar de mais um sucesso estrangeiro, agora é hora da Espanha brilhar meu bem! Um contratempo tem que entrar para sua lista indiscutivelmente, principalmente por mostrar a importância da riqueza de detalhes na construção de uma trama, com a produção de Nostromo Pictures, Think Studio e Atresmedia Cine, uma fotografia fantástica por Xavi Gimenez, direção de arte de Eva Torres, com a excelente escolha na direção de elenco de Eva Leira e Yolanda Serrando que resultaram em atuações impecáveis e direção de montagem de Jaume Marti. O filme vem com tudo para preencher as mentes que adoram teorias e surpresas. É isso que a historia de Adrian Doria (Mario Casas),  sua amante Laura Vidal (Bárbara Lennie) e a advogada de defesa Virginia Goodman (Ana Wagener) nos proporciona.

A imagem pode conter: 2 pessoas, atividades ao ar livre e close-up
Sob a direção e roteiro de Oriol Paulo o mesmo do suspense “O Corpo”, que vem desta vez com mais maturidade cinematográfica e com muita maestria, tanto ao conduzir os atores, quanto na edição final do filme para criar o clima perfeito usando o excesso de detalhes e a contraposição temporal, toda a equipe desbravou os caminhos certos na realização desse projeto audaciosos. Os cenários entremeiam ambientes em tons turvos frios de azul que representam algo bem incomum nas produções atuais. O marcante do trabalho desse gênio do cinema espanhol foi saber como prender a atenção do espectador com a sequência de reviravoltas surpreendentes, não como de costume, onde tudo acontece no final do filme, mas sim ao decorrer de todo ele. O elenco é tudo de bom, além dos nomes já citados, temos também José Coronado, Francesc Orella, Paco Tous, Iñigo Gastesi e David Selvas que arrasaram, diga-se de passagem. Não há pontas soltas ou momentos cansativos dentro do  conceito de suspense moderno, tanto que quando dei por mim, já estava no fim. O destaque vai para os “flashbacks” muito bem feitos que se misturam com as várias teorias levantadas pela advogada Virgínia, que certamente é um ponto que contribuiu para o excelente desenvolvimento do enredo, já que é ela que levanta questões para cada história contada pelo acusado do assassinato da amante Laura, o que nos obriga a recomeçar do zero, sem saber se realmente Adrian é o assassino.
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas, noite e área interna

Vamos entender tudo para dar mais vontade de ver. Adrian Doria, um empresário com nome de sucesso nos negócios, bonito, rico, com uma bela esposa, uma linda filha e com direito a uma amante satisfeita com a forma que o relacionamento está sendo conduzido, ou seja, tudo está indo muito bem em sua vida. Daí o moço desperta num quarto de hotel depois de ser atingido na cabeça, sua amante Laura Vidal está morta no banheiro coberta de euros e para piorar o quarto está trancado por dentro sem vestígios de que além dos dois, mais ninguém entrou ali. Não dá em outra, ele é acusado do assassinato da própria amante e para conseguir provar sua inocência ele recebe a indicação de Felix Leiva (Francesc Orella) e contrata a melhor advogada de defesa da Espanha, Virgínia Goodman! É nesse ambiente, num quarto de hotel onde acontece o encontro de Doria com a super advogada que se desenrola todo o bafão que faz desse filme um baú de detalhes que devem ser bem avaliados e observados por quem assiste, com várias versões prováveis do acontecido.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e área interna

Para piorar, o passando que antecede os acontecimentos que podem fazer o império de Adrian desmoronar vem á tona com o envolvimento dele e sua amante no acidente que tirou a vida de Daniel Garrido (Iñigo Gastesi). Sem entrar muito nos detalhes dessa parte da história, entram na confusão mais personagens, o pai do rapaz Tomáz Garrido (José Coronado) e sua mãe em uma sequência de fatos muito bem colocados pelo roteiro. Todos sabem que um problema nunca vem sozinho e além desse núcleo familiar da vítima, ainda tem também um motorista (Paco Tous) que passa na hora do ocorrido, assumindo o papel de testemunha original do acidente. A interação de uma história com a outra, que é a principal do filme, vai nos conduzindo a uma série de suposições que sinceramente tiraram meu fôlego! De uma forma bem inteligente e como já disse antes, bem montada, quem assiste é tomado por uma certa ansiedade gostosa na intenção de descobrir se ficamos do lado do empresário, da falecida amante ou se enxergamos todos como vilões mentirosos! Confesso, até o último instante eu não conseguia definir em qual lado eu estava!

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre

É hora de ressaltar as atuações dos dois atores que funcionam como narradores do que pode ter acontecido e quem realmente é o culpado pela morte de Laura. Mario e Ana tem uma certa “química” que realmente prende a nossa atenção sem causar a famosa monotonia que outros filmes do gênero sempre atingem em um certo ponto do enredo. Um contratempo redireciona o raciocínio do espectador, estimulando a capacidade cognitiva de encontrar soluções e resultados através dos fatos apresentados, nos transformando numa versão de “Virgína Goodman” a super advogada espanhola. Eu tive a impressão, de tão bem feita a história, que era baseado em fatos reais, acredita? Mas é apenas uma obra de ficção muito bem escrita por Oriol Paulo e sua mente brilhante já registrada em suas obras anteriores. Tem mais um fato que me agradou muito, o fato de Virgínia afrontar o réu Adrian, não só levantando as várias formas de mudar a direção da culpa do protagonista para todos os envolvidos restantes, mas também por deixar bem claro a própria capacidade de ser mais inteligente e sagaz do que o moço. Amores, deixo claro que essa personagem está na minha lista “ROSA” de preferidos da minha cinemateca particular!

O filme cumpriu muito bem sua finalidade como suspense, além de deixar sua adrenalina em nível altíssimo, estimula o exercício do raciocínio e ainda limpa nossos olhos com os “Colírios” Mario Casas e Barbara Lennie que são lindíssimos. O que dá mais felicidade é o fato deles conseguirem nos enganar até o último minuto, é aquele tipo de filme que acelera o coração de tanta ansiedade para descobrir o que realmente aconteceu e quem é o culpado do crime. Foi feito para os amantes dos estilos dos nomeados escritores inteligentes, como Hitchcock, Agatha Christie e Sidney Sheldon. Como vocês que acompanham minhas resenhas já notaram, estou privilegiando as produções estrangeiras em todos os gêneros que estão sendo apresentados tanto no streaming da Mamãe “NETFLIX”, quando da Titia “AMAZON Prime”! Então vem comigo e vamos descobrir juntos o que há de melhor nas plataformas nesse momento que podemos preservar nossa saúde e ficar em casa de quarentena! SUPER DUPER INDICO SEM CONTRATEMPOS! ADOROOO KKKKK #CHOCOBJS #FIQUEEMCASA

 

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários