Stargirl - A Escuridão pode apagar a Luz? || Resenha

Um olá Multiversal pra você!

A segunda temporada de Stargirl chegou ao fim e  mais uma vez tivemos um final brilhante para essa série (olha as piadinhas com luz aí de novo). No desenrolar do texto vou apresentar a MINHA OPINIÃO sobre a história desses novos 13 episódios, lançados semanalmente, que criaram uma atmosfera muito mais tensa e sombria que a primeira temporada e que terminaram com um gancho para a próxima. Esse texto é para ILUMINAR seus pensamentos sobre a série. Se você VAI OU NÃO ASSISTIR, fica a seu critério. Mas sem enrolação, vamos dar a luz a essa resenha (eu não consigo parar), lembrando que NÃO TEM SPOILERS por aqui. 

Opa, opa, opa. Não viu a Primeira temporada? Vem ver a resenha do início do brilho da Stargirl! 

“Faz eu rir não menor, estou sombrio hoje” 

StargirlBlackandWhite.jpg

(Twitter @Stargirl_CW)

Numa pegada bem diferente da primeira temporada, a série parece ter amadurecido junto com os personagens após os eventos do primeiro ano. Ainda num tom jovem que pretende ser para a família toda assistir, essa temporada se aprofunda ainda mais no psicológico dos protagonistas e a cada episódio um ambiente mais pesado e sombrio vai sendo criado. 

Não sendo uma crítica, obviamente, até porque o vilão Eclipso se trata justamente de trazer a tona o pior de cada pessoa. Além das grandes participações do Sombra, cujo nome é autoexplicativo. 

Falando em série sombria da DC, conheça Monstro do Pântano 

O ponto mais alto da Segunda Temporada

Segunda Temporada de Stargirl

(Twitter @Stargirl_CW)

Os visuais continuam muito lindos, sem muitas mudanças. Mas a forma como ela é filmada teve uma grande melhoria. Com a provável melhor cena de luta de uma série da CW até o momento, a segunda temporada de Stargirl dá uma aula sobre filmagem de sequência de ação no meio da temporada. Além disso, a série passa a tentar representar os sentimentos dos personagens de forma mais visual, com cenas mais abertas, mais individuais enquanto pensam ou estão aflitos, de forma a tornar palpável a profundidade da história. 

Não só isso, mas também 

Temos algumas novidades e surpresas de personagens e aparições que despertam ainda mais nossa vontade de continuar assistindo. A série continua com algumas piadas e excelentes momentos de interações entre a nova Sociedade da Justiça da América. Mas definitivamente não tanto quanto a temporada anterior.

Parece que a série sabe exatamente para onde quer ir, e o que quer fazer nessa história e não tem medo nenhum de arriscar, ser clichê em vários momentos e abraçar a breguice dos uniformes. E sinceramente, tem dado muito certo.

É piada que você quer? A maior palhaça dos quadrinhos não te deixa na mão. Veja a resenha da 1ª e 2ª temporada de Harley Quinn. 

Imagem

(Twitter @Stargirl_CW)

Em resumo: A Segunda Temporada de Stargirl

Desenvolve não só os personagens, mas todo o mundo no qual estão envolvidos, com maestria. E faz tudo isso sem perder a vibe de sessão da tarde que a série tem desde seu início, mantendo sua essência e qualidade. 

Novamente “estrelado” por Brec Bassinger, a segunda temporada de Stargirl retorna com Luke Wilson, Cameron Gellman, Yvette Monreal e Anjelica Washington nos papéis de F.A.I.X.A, Homem-Hora, Pantera e Doutora Meia-Noite respectivamente. E com o gancho que comentei brevemente para evitar spoiler, a série já prepara uma terceira temporada, estando nos planos da CW e da HBO Max para o futuro. 

 

Ouça- nos no Hospício In Cast

Conheça a  #CronoLoucura

E me siga no Twitter @Miranhajão

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários