The Beatles: Get Back. - Uma fascinante jornada para os fãs. || Resenha

“Nothing’s gonna change my world…”
(Nada vai mudar meu mundo)

Meus caríssimos hospicianos. Hoje venho trazer para vocês, algo diferente do que estou acostumada. Resolvi dar um passeio na nossa Disney e trazer algo realmente incrível. Recebam com muita euforia: The Beatles: Get Back!

Idealizada pelo aclamado diretor Peter Jackson – sim o queridinho da nossa amada  trilogia (“O Senhor dos Anéis”), The Beatles: Get Back é uma série documental que narra o processo de gravação do 12º e último álbum da banda, “Let It Be”, anteriormente conhecido como “Get Back”. A produção traz, na verdade, um compilado restaurado a partir de mais de 60 horas de imagens inéditas (captadas pelo cineasta Michael Lindsay-Hogg em janeiro de 1969). Além, de mais de 150 horas de áudio nunca antes ouvidas.

adorocinema
Fonte: Adoro Cinema

Então, meus queridos venham comigo se deliciar nessa história maravilhosa que todos realmente devem conhecer, lembrando que aqui se trata sempre da minha humilde opinião e claro não teremos spoilers!

Beatlemaníaca?

Uma das primeiras coisas que quero destacar desse documentário é sobre o seu público. Por que na verdade eu enxerguei dois extremos. Primeiro, os fãs da banda, simplesmente vão amar, se enlouquecer é um espetáculo de tirar o folego (sim, sou fã ou melhor Beatlemaníaca!). Então, me encaixei maravilhosamente nesse extremo, mas…

Como nem tudo são flores o outro extremo é que se você gosta apenas de uma ou outra canção, esse documentário vai ser forçado, demorado e cansativo. Então, ao meu ver é que realmente ele é destinado para um público específico.

Direção…

Eu sempre gosto muito de uma boa direção, tenho um apreço pelo trabalho do Peter Jackson. Mas, vou tentar tratar aqui somente do seu trabalho nesta obra. Umas das decisões de Jackson que mais me surpreendeu e me deixou imensamente feliz, foi o fato de que ele resolveu focar na camaradagem, no carinho. Principalmente, no respeito que os integrantes do quarteto tinham um pelo outro. Por que, bem se sabe que haviam bastantes rumores do mau relacionamento que existia entre eles naquele momento específico retratado na série. Agora a cereja do bolo foi Jackson conseguir a façanha, claro graças à tecnologia moderna, recuperar diálogos em que Paul McCartneyJohn LennonGeorge Harrison e Ringo Starr tentavam esconder aumentando o som das guitarras. Estou literalmente reverenciando esse diretor, já fiquei sem palavras aqui.

adorocinema
Fonte: Adoro Cinema

Curiosidades…

Preciso muito destacar as melhores curiosidades que encontrei. De cara já tenho que dizer que a maior delas é fato de que são três episódios de quase três horas cada. Então, já podem imaginar o que vem por aí. Mas dentro dessas horas vamos nos emocionar com a chegada do pianista Billy Preston. O que para mim foi um dos momentos mais tocantes. Tem uma outra boa revelação dentro da série, porém não quero entrar em detalhes porque como prometi não teremos spoilers. Mas, só adianto que vocês poderão se surpreender com Yoko Ono.

No mais…

Tenho que reforçar mais uma vez que, quem acompanhou a trajetória do grupo, não pode perder de modo algum. É simplesmente fantástico, emocionante, literalmente uma obra de arte! E também volto a repetir, se você conhece ou gosta apenas de uma música ou outra, o espetáculo que eu amei pode ser uma tortura para você. Então, considerem sua afinidade e devoção.

Me despeço de vocês com as palavras do nosso eterno John Lennon: ”Tudo o que você precisa é de amor.”

E claro não deixem de nos acompanhar no Instagram @flavhynha e @hospicionerd

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários