{Resenha} O Milagre na Cela 7 - Caiu um olho no meu cisco... - Hospicio Nerd

GARRAFAS!!!

Sim meus caros netflixsenses, de vez em quando entramos na dona Netflix e nos deparamos com alguns filmes que não prometem ser grande coisa, você aperta o play pelo simples fato de não ter nada para assistir, e então é surpreendido por uma história envolvente que te prende logo de cara, esse foi o caso de “O Milagre na Cela 7”, um produção turca que na realidade é um remake de um longa Sul-Coreano que foi lançado em 2013! Na verdade esse é um dos 4 remakes que o filme ganhou, nesse caso especifico eu fico na dúvida se é realmente remake ou apenas uma adaptação entende? Já que são versões adaptáveis aos seus países e tal, bom, puxa o banquinho para mais perto e bora resenhar, vou comentar um pouco sobre alguns acontecimentos no filme, mas não se preocupa, não tem spoiler!

Milagre na Cela 7 : Foto Aras Bulut Iynemli, Nisa Sofiya Aksongur

(Fonte: Adoro Cinema / Copyright Kinostar Filmverleih GmbH)

A sinopse do filme é a seguinte: “Separado de sua filha, um homem com deficiência intelectual precisa provar sua inocência ao ser peso pela morte da filha de um comandante”, e esse homem é Memo, um sujeito simpático pá boss! Que vive com sua avó e sua filha, a pequena Ova. A relação entre pai e filha é algo extremamente comovente e bonito de se ver, uma relação pura e simples, baseada em nada mais do que amor. Acho que essa é melhor maneira de definir, uma vez que Memo é apresentado como um homem que tem a mesma idade de sua filha, mentalmente falando. Eu não sábia nada sobre o filme antes de começar a ver, nem sequer li a sinopse, e nos primeiros minutos cheguei a pensar que o filme seria uma nova versão de “Uma Lição de Amor”, lembram? Aquele com a Dakota Fanning e o Sean Penn. Só que eu estava enganado, apesar da emoção ser bem parecida.

Milagre na Cela 7 : Foto Aras Bulut Iynemli, Nisa Sofiya Aksongur

(Fonte: Adoro Cinema / Copyright Kinostar Filmverleih GmbH)

Uma coisa ficou bem clara no começo do filme, uma delas é que os militares é quem mandam nas paradas, a todo momento temos esse contra ponto, o amor entre pai, filha e avó, e uma tensão que cresce sem você nem perceber, vindo da parte dos militares nas ruas. Percebemos isso no momento em que Ova e Memo vão tentar comprar uma mochila que a garota tanto quer, porém, outra pessoa a comprou, um comandante, ele na cabeça de Memo aquela mochila era de sua filha, ele vai atrás do militar para tentar comprar a mochila e claro que a coisa não termina muito bem. Dias depois Memo está levando suas ovelhas para pastar, acaba se deparando com um bando de crianças que brincam com ele. A filha desse comandante é uma delas, acaba ficando sozinha com ele e o pior acontece. A garota brincando nas pedras acaba caindo, batendo a cabeça e indo parar no lago, e aí veio outra lembrança, a cena em que o Coffey encontra as irmãs lá em “A Espera de um Milagre”, Memo pula na água e tira a garota de lá, porém já é tarde. A filha de um comandante estava morta, mesmo que tenha sido um acidente, ele queria sangue!

Milagre na Cela 7 : Foto

(Fonte: Adoro Cinema / Netflix)

,E Memo passa de pai e pastor, para um criminoso sanguinário, alguém que matou uma criança! Sem ter como se expressar corretamente para demonstrar o que de fato aconteceu, ele é espancado, obrigado a colocar sua digital em uma confissão, enviado ao presidio e espancado outra vez!  E assim como vimos na série “O Guardião”, que também é da Netflix e também é uma produção Turca, conseguimos perceber um pouco mais sobre como é uma prisão lá, isso foi algo bem interessante também. Durante boa parte de sua estádia na cela, Memo se mostrou uma pessoa que não deveria estar ali, os próprios detentos perceberam isso, que o lugar dele seria em uma prisão para doentes mentais, porém, foi a filha de um homem sedento de sangue e que tinha poder que foi morta, e Memo recebe um atestado de saúde que afirma que pode estar ali, e ser executado como um assassino de criança!

Milagre na Cela 7 : Foto

(Fonte: Adoro Cinema / Netflix)

E com o passar dos dias, os presos na cela 7 perceberam que Memo não era um monstro, talvez seu modo de agir e o fato de não parar de pensar e falar na filha, possam ter contribuído para uma mudança em todos que estavam ali, pelo menos foi isso que me pareceu, que o verdadeiro “milagre” que estava naquela cela, era o próprio Memo. O modo em que as coisas acontecem é bem interessante, cada personagem naquela prisão acaba tendo seu momento de brilho e de contribuir para a história, até mesmo quando um fio de esperança se acende, e eles o seguem como podem, apenas para nos fazer deitar em posição fetal e chorar.

Milagre na Cela 7 : Foto Aras Bulut Iynemli, Nisa Sofiya Aksongur

(Fonte: Adoro Cinema / Copyright Kinostar Filmverleih GmbH)

No fim das contas temos um belo filme em mãos, um filme que nos entrega um pouco de tudo, um roteiro bacana, que entrega uma conclusão bem fechadinha, que não deixa nenhuma ponta solta sabe? Temos boas risadas com as brincadeiras do Memo, e temos choro, muito choro! Além é claro de muita raiva por ver uma pessoa inocente e pura como o Memo sofrendo tanto. E também temos um plot twist de cair o o café no leite! Quando o filme terminou eu estava abraçado com meu filho de 3 anos e com minha esposa, eu li uma ou outra resenha que deram uma detonada no filme, falando que seu drama era proposital para chegar batendo na mesa na páscoa saca? Mas a verdade é que temos uma bela história de amor, uma história cultural também, já que nos apresenta um pouco da cultura Turca, assim como algumas leis e punições. Sem dúvidas dou CINCO FLAVITOS para essa história, assista, se emocione e venha comentar com a gente!

 

 

 

Deixe seu Comentário

Este artigo não possui comentários